28/12/2012

A origem dos anjos caídos



Satanás estava no céu, era um anjo de Deus, querubim ungido do Senhor. Era um anjo perfeito, até que um dia se engrandeceu diante de Deus, querendo ser semelhante ao altíssimo:

“Por meio do seu amplo comércio, você encheu-se de violência e pecou. Por isso eu o lancei, humilhado, para longe do monte de Deus, e o expulsei ó querubim guardião, do meio das pedras fulgurantes” (Ez 28.26).

No capítulo 28 de Ezequiel, a partir do versículo 11, encontramos as descrições deste anjo.

Ele era o modelo da perfeição (v.12).
Ele estava no Éden, Jardim de Deus (v.13).
Ele foi criado e não nascido (v.13,15).
Ele era um anjo (v.14).
Ele estava no monte santo de Deus (v.14,16).

Este anjo também é identificado claramente em Apocalipse 12.7-9:

“E houve guerra no céu: Miguel e seus anjos batalhavam contra o dragão. E o dragão e os seus anjos batalhavam, mas não prevaleceram, nem mais o seu lugar se achou nos céus. E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, que se chama diabo e Satanás, que engana a todo o mundo. Ele foi precipitado na terra, e os seus anjos foram lançados com ele”.

Este anjo rebelado passou a se chamar Satanás, que literalmente quer dizer “lançar um contra o outro”, isto é, “semeador de contendas ou calunias”. No hebraico significa “Satan”, que além de “adversário” tem também o sentido de “acusador”. Antes de sua queda, esse anjo rebelde era conhecido como “estrela da manhã, filho da alva” (Is 14.12). Na versão vulgata é traduzido por “Lúcifer” que significa “portador de luz”. Além desses nomes, Satanás tem seus títulos e funções:

O príncipe deste mundo (Jo 12.31; 14.30; 16.11).
O deus deste século (2 Co 4.4).
O príncipe das potestades do ar (Ef 2.2).
A antiga serpente (Ap 12.9; 2 Co 11.3).
O grande dragão (Ap 12.3,9).
Enganador (Ap 12.9; 20.3).
Acusador de nossos irmãos (Ap 12.10)
Tentador (Mt 4.3; 1 Ts 3.5).
O vosso adversário (1 Pe 5.8).
Homicida (Jo 8.44).
Mentiroso e Pai da mentira (Jo 8.44).
Mal ou Maligno (Mt 6.13; Jo 17.15; Ef 6.16; 2 Ts 3.3).
Enganador (Gn 3)
Manipulador de lideranças (1Cr 21.1)
Falsificador de profecias (1 Rs 22.21)
Destruidor de cidades (Nínive, Babilônia, etc)
Desagregador de igrejas (1Co 1.10-17)

O principal pecado que levou Satanás a sua queda, foi o orgulho (Ez 28.17; 1 Tm 3.6). Isaías 14.13-15 descreve o seu orgulho demonstrado em sua rebelião contra Deus. Cinco vezes Satanás disse em seu coração:

“Eu subirei..., (eu) exaltarei..., (eu) me assentarei...,
(eu) subirei..., (eu) serei...”.

Como resultado de seu pecado, Satanás foi banido do céu (Is 14.12; Ap 12.7-9), e foi destinado ao abismo (Is 14.15; Ap 20.3). Quando Satanás pecou, ele não pecou sozinho, mas seduziu um bom número de anjos a servi-lo ao invés de Deus. A Bíblia diz que um terço dos anjos foram seduzidos por Satanás (Ap 12.4).

A PRESENTE POSIÇÃO DE SATANÁS

Tem um reino de demônios - Mateus 12:24
Controle geral - I João 5 :19
Controle político - João 12:31
Controle eclesiástico - II Coríntios 4:4
Controle espiritual - Mateus 13:38


ENTENDENDO MAIS SOBRE DEMÔNIOS

Apesar de Satanás ter sido um querubim ungido, com a rebelião ele levou consigo muitos anjos (inclusive arcanjos), os quais se tornaram demônios, desta forma teriam sido destituídos de seus corpos angelicais. Agora tais demônios necessitam de corpos para poderem se manifestar neste mundo. Vejamos abaixo algumas características gerais sobre tais seres espirituais:

São seres inteligentes: Mt 8. 29,31 - E eis que gritaram: Que temos nós contigo, ó Filho de Deus! Vieste aqui atormentar-nos antes de tempo?... Então os demônios lhe rogavam: Se nos expeles, manda-nos para a manada dos porcos.
São seres espirituais. Lc 9.38,39,42 - E eis que, dentre a multidão, surgiu um homem, dizendo em alta voz: Mestre, suplico-te que vejas meu filho, porque é o único; um espírito se apodera dele e, de repente, grita e o atira por terra, convulsiona-o até espumar, e dificilmente o deixa, depois de o ter quebrantado... Quando se ia aproximando, o demônio o atirou no chão e o convulsionou; mas Jesus repreendeu o espírito imundo, curou o menino e o entregou a seu pai.
São espíritos destituídos de seus corpos: Mt 12.43,44 - Quando o espírito imundo sai do homem, anda por lugares áridos procurando repouso, porém não encontra. Por isso diz: Voltarei para minha casa donde saí. E, tendo voltado, a encontra vazia, varrida e ornamentada.

Nota: Os anjos de Deus tem corpos espirituais, porém os demônios foram destituídos de seus corpos, por isso precisam de um corpo para habitar, de forma que toque, enxergue e sinta o mundo físico com a mesma facilidade que nós humanos.

São muitos em número: Mc 5.9 - E perguntou-lhe: Qual é o teu nome? Respondeu ele: Legião é o meu nome, porque somos muitos.
Os demônios são de tal modo numerosos e “organizados”, que criaram uma rede de hierarquias e divisões, capaz de tornar Satanás praticamente ubíquo no meio deles.

Reconhecem o poder e autoridade de Cristo (Mc 5:6).
Sentiram medo de Jesus, e imploraram para que Ele não lhes atormentasse (Lc 8:28).
Habitam em territórios estipulados: “rogaram-Lhe muito para que Ele não os enviasse para fora daquela província ” (Mc 5:10).

Observe que a bíblia diz que quando um demônio é expulso, ele fica fora do corpo e vai para lugares áridos. Não encontrando onde habitar, volta com sete mais fortes, para lutar pelo corpo que “o pertencia”. Quando os demônios clamam para serem jogados para porcos, percebemos duas verdades importantes:

- Os demônios precisam de corpos para habitar, pois são espíritos sem corpo;
- É possível um espírito imundo possuir um animal vivo. (Mc 5:12).

HIERARQUIA ESPIRITUAL DOS DEMÔNIOS

“Porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes” (Ef 6.12).

O texto acima talvez possa ser chamado de áureo da batalha espiritual. Pois aqui Paulo nos dá grandes ensinamentos:

Nossa luta não é carnal (homem carnal não tem como lutar)
Existe hierarquia espiritual

Mais adiante ele ainda traz importantes ensinamentos:

Existe uma armadura espiritual para a batalha espiritual.
Existe o “dia mau”

Agora vamos falar exclusivamente sobre a hierarquia espiritual. No versículo 12 o apóstolo fala de potestades, principados, dominadores e forças. Antes de qualquer coisa precisamos entender que Satanás não é onipresente. Por não ser onipresente, ele mais uma vez se torna pequeno diante de Deus.
Em um dos congressos de batalha espiritual ministrados por nós, há algum tempo atrás, um homem chegou na porta da igreja e disse: “Eu sou Lúcifer, e trouxe comigo muitos demônios”. Mais uma vez confirmei um que a bíblia diz: “Satanás é o pai da mentira; é mentiroso desde o princípio”.
Em primeiro lugar Satanás não possui pessoas. Ele é um demônio muito “poderoso”, e certamente o ser humano seria frágil para tal possessão. Em segundo lugar, eu não creio que Satanás iria deixar seu posto (talvez em uma guerra, ou comandando seu batalhão), para se preocupar comigo e com mais um congresso que estávamos ministrando.
Após ordenar a libertação, o homem foi liberto e percebemos que eram poucos demônios de baixo escalão que o possuía.
Por não ser onipresente, Satanás criou uma inteligente rede de atuação, colocando demônios espalhados por localidades, com funções diferentes. Esta é a classificação demoníaca citada por Paulo, na qual estudaremos a seguir.

Principados (príncipes infernais)

De acordo com o dicionário Michaelis, principado significa: “Território ou Estado governado por um príncipe ou princesa”. No grego, a palavra principado é arche – “autoridade”, “governante”, “domínio”, “esfera de influencia”
Existem demônios de alto escalão designados para ocupar estes principados. São como príncipes de grandes regiões, como continentes e países.

A Bíblia nos traz um bom exemplo de batalha espiritual, a nível de principados:

“Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu vinte e um dias, e eis que Miguel, um dos primeiros príncipes, veio para ajudar-me, e eu fiquei ali com os reis da Pérsia.” (Dn 10.13)

Enquanto Daniel orava por uma resposta do Senhor, estava sendo travada uma guerra nas regiões celestiais.
O príncipe da Pérsia lutava com o arcanjo Miguel (também príncipe – “arché angelos”), para impedir a resposta do homem de Deus. Não é sempre principados (de alto escalão) se ocupam para impedir nossas orações. No caso de Daniel, ele orava intercedia por uma nação inteira, por isso envolveu principados.

Observe a resposta do arcanjo Miguel:

“E ele disse: Sabes por que eu vim a ti? Agora, pois, tornarei a pelejar contra o príncipe dos persas; e, saindo eu, eis que virá o príncipe da Grécia.” (Dn 10.20)

Potestades (gerentes infernais)

No grego, potestade significa eksousia – “autoridade”, “poder”, no sentido de autoridade delegada. São governantes subordinados aos príncipes, por isso também chamados sub-principes. Agem respectivamente em cada principado (território) a que pertencem. Em determinados casos, tais poderes de principados diferentes se unem para agir em uma tarefa específica.
Existem milhares e milhares de potestades espalhadas sob a face da terra, assumindo responsabilidade por estados, cidades, ruas, bairros, clubes, igrejas, religiões, seitas e partidos, etc, etc...

Dominadores - Demônios de Baixa Grandeza

Do grego kosmokrator, que literalmente significa “governante mundial”. Também são milhares e milhares, e são os responsáveis pelo andamento de projetos idealizados pelos príncipes ou sub-príncipes. Atuam como guias, orixás, mensageiros ou operários.
A bíblia diz que o mundo jaz no maligno. A palavra governante mundial não é porque eles estão no comando geral, mas porque seus atos influenciam diretamente o destino da humanidade.
São os demônios de baixa grandeza são as conhecidas “entidades”, que na Umbanda são conhecidas por diversos nomes, como Zé Pilintra, Exu Caveira, Pombagira, Preto Velho, Etc. Eles são destinados a possessões, onde entram nas vidas das pessoas e destroem tudo.
Alem disso, tais demônios são responsáveis pelo surgimento movimentos espirituais malignos, tais como:

Astrologia (através de espíritos de adivinhação)
Movimento de nova era (demônios que afetam a mente humana)
Anjo da morte (espíritos de suicídio)
Idolatria “coisas que os gentios sacrificam, as sacrificam aos demônios, e não a Deus. E não quero que sejais participantes com os demônios” (1Co 10.20)


Forças espirituais da maldade

Do grego, pneumatikos, “seres malignos”, “forças do mal”. São demônios de menor hierarquia, que trabalham em legiões, auxiliando nos trabalhos de possessões. Estima-se que existam cerca de 30 bilhões de demônios para cada habitante no planeta terra. Alguns destes demônios tem atributos “especiais”, como poder mover, ou fazer “desaparecer” objetos. Emitem sons, entre outros feitos.

Legiões demoníacas

“...mas esta casta de demônios não se expulsa senão à força de oração e de jejum.” (Mt 17.21)

A palavra “casta” significa qualidade, tipo, categoria. Esta palavra é citada por Jesus, quando diante de um endemoniado. Quando os discípulos estavam a ministrar libertação, encontraram dificuldade em alguns casos, nos quais Jesus explicou que somente poderiam sair mediante a jejum e oração. Se tratavam de legiões de demônios, deixe-me explicar como funciona a libertação por legiões.
Quando encontramos uma pessoa possessa por um ou poucos espíritos malignos, ordenamos a cada um que saiam em Nome de Jesus, e a libertação é encerrada. Porém, uma casta são centenas de demônios, alojados em uma única pessoa.
Quando se expulsa um, entra outro. Quando se tira o outro, entra mais um... agora imagine você expulsar centenas de demônios, um por um.
Certa vez Jesus ordenou que uma legião fosse retirada de um homem, e os demônios foram jogados para porcos. Para o Mestre foi fácil, pois ele era um homem de oração e jejum, sua autoridade era gigantesca.
Estes demônios se apresentaram a Jesus sob o título de “legião”, porque eram muitos.
No contexto do fato ocorrido, existiam as legiões de soldados romanos. Tais legiões eram formada por cerca de 6000 homens, assim divididos em 10 coortes (pelotões de 600 homens), que por sua vez se dividiam em 6 centúrias (100 homens) cada.
Acredita-se que uma legião tem cerca de 6000 demônios, assim como a legião romana. A legião de soldados romanos era formada por 6000 soldados, dividida em 10 grupos de 600, chamados coortes. Cada coorte era dividida em seis grupos de 100, conhecidos como centúrias (liderados pelo centurião).
Agora imagine, expulsar um por um destes demônios. Neste caso, é necessário ter uma vida de oração e jejum. O crente que jejua acumula “créditos” no mundo espiritual, e se torna espiritualmente forte para este tipo de batalha. Quando este crente se depara com um possesso por legiões, basta ordenar que os demônios saiam, e assim se fará.
Existem algumas legiões de demônios conhecidas principalmente no Brasil e no continente africano. Foram trazidas para o Brasil através dos escravos, com suas seitas e religiões que trouxeram para nossa cultura formas de invocação e pactos para nossa terra.
Quando os padres jesuítas proibiram os escravos foram proibidos de adorar e invocar tais legiões, exigindo que adorassem os santos cristãos (católicos), foi criado então o sincretismo, de forma que as castas poderiam ser adoradas, através dos nomes dos santos católicos.
Prova disso é que em diversas cidades brasileiras, praticantes de umbanda, candomblé, catolicismo romano, se encontram nas portas dos templos, normalmente, para adorar.
Geralmente vemos em portas de igrejas católicas, baianas, vestidas com roupas de cultos africanos.
 

------------------------------------------------------------------------------------------
Atenção: 
Se você é pastor ou líder, conheça as conferências do Ministério Apostólico Atos Dois, e agende três noites, um retiro ou congresso interno, com o Pastor Ricardo Ribeiro, em sua igreja. O Pastor Ricardo Ribeiro reside na cidade de Teresópolis, RJ, e já ministrou em praticamente todo o território nacional, formando equipes de Intercessão, Libertação, Ministério de Casais, Batalha Espiritual, etc.

O Pastor Ricardo ministra os seguintes temas:

- Jovens Libertos e Transformados- Conquista de Cidades- Batalha Espiritual no Casamento- Adoração que Liberta- Ativação Profética e Sobrenatural- Autoridade Espiritual- Escola de Libertadores- Escola de Profetas

Pr. Ricardo Ribeiro